Roteiro básico + hotéis de luxo na Cidade Luz

O título de destino turístico mais popular do mundo — e sua consequente saturação de visitantes anuais — não diminuem o charme de Paris. Pelo contrário, a cidade é inabalável. Mantém a tradição com pitadas de modernidade e é, há séculos, expert em lançar tendências. Não por menos: trata-se da capital mundial da moda e o berço da gastronomia de vanguarda.

Há quem vá para apreciar e estudar a arquitetura de suas construções monumentais. Há os românticos, que preferem passeios a dois às margens do Sena, com a Torre Eiffel ao fundo. Os apaixonados por arte e cultura se esbaldam na quantidade sem fim de museus e galerias. As fashionistas têm destino certo: a hypada Rue Faubourg Saint Honoré. Já os bons de garfo não dispensam jantares nos renomados restaurantes da cidade.

Aprender ao menos um pouco da língua local é o primeiro passo para sobreviver em Paris. Grande parte dos franceses finge não entender, mas consegue se comunicar muito bem em inglês. Palavras básicas em francês como bonjour (bom dia), au revoir (até logo), s’il vous plaît (por favor) e merci (obrigado) ajudam a quebrar o gelo.

Outra dica fundamental é se locomover a pé. Boa parte das atrações são próximas, e o passeio se torna muito mais enriquecedor. Se estiver cansado ou o percurso for longo demais, pegue o metrô. Mas nunca, em hipótese alguma, deixe de comprar o bilhete da máquina. Há pessoas aparentemente indefesas vendendo bilhetes falsos nas estações. O flagra dos fiscais pode render multas de 35 euros aos desavisados! Em últimos casos, apele para o taxi. Mas saiba que os motoristas nem sempre são delicados, não gostam que o passagem sente na frente e cobram uma tarifa mínima de 7 euros.

A experiência perfeita em Paris prevalece o descanso ao agito. É tanta informação a cada esquina que a sensação é de estar sempre absorvendo e aprendendo algo. Mas há atrações clássicas que são a cara da cidade, endereços do tipo obrigatórios, que valem uma ou mais visitas. Listamos alguns dos principais.

Louvre
O Código Da Vinci popularizou ainda mais o que já era das mais concorridas atrações de Paris: o Museu do Louvre. Reserve um dia inteiro e vá preparado para enfrentar grandes filas na entrada. Sapatos confortáveis são bem vindos. Na parte de dentro, as aglomerações se limitam às obras mais famosas: Vênus de Milo e a Mona Lisa. Os luxuosos cômodos de Napoleão III também valem a visita. O acesso às coleções permanentes é gratuito para todos os visitantes nos primeiros domingos de cada mês. Nos demais dias a entrada custa € 15. Quem curte arte não pode deixar de ir também ao Musée d’Orsay (€ 12), dedicado ao impressionismo, e ao Centre Pompidou (€ 14), de arte contemporânea.

Torre Eiffel
É preciso tempo e paciência para subir os 324 metros do principal cartão postal da cidade. A fila interminável para subir de elevador (€ 17) dura ao menos uma hora. Para não ter de esperar, uma boa opção é subir as escadas até o primeiro andar e pegar o elevador dali. Outra opção é reservar mesa em um dos restaurantes da torre, 58 Tour Eiffel ou Le Jules Verne, e garantir acesso pelo elevador privativo. A torre é magnífica de dia, e chama ainda mais atenção ao anoitecer, quando brilha de hora em hora por aproximadamente cinco minutos.

Bateaux-Mouches
Andar de barco pelo Sena pode soar clichê, mas é inesquecível. A bordo dos Bateaux-Mouches (€ 13,50) é possível avistar uma boa quantidade de monumentos que adornam as águas do rio. Alguns barcos oferecem passeios noturnos com jantares, num ambiente romântico com Paris iluminada.

Arco do Triunfo
Para chegar ao arco, não tente atravessar a praça a pé. Pegue o túnel que conduz ao monumento na esquina da Champs-Élysées. As esculturas da fachada do arco são famosas, assim como os 284 degraus de escada que levam ao terraço. Como recompensa, uma bela vista das doze avenidas de Haussmann.

Place de la Concorde
É onde está o Obelisco de Luxor, polêmico presente do Egito para a França, e a fotogênica roda gigante. É também onde Luis XVI e Maria Antonieta foram decapitados durante a Revolução Francesa.

Rue Faubourg Saint Honoré
Versão mais luxuosa e elegante da Oscar Freire, em São Paulo, a rua conta com lojas de grifes como Hermès, Burberry e Christian Louboutin e milionários hotéis cinco estrelas. É também o endereço da loja mais cool da cidade, a Collete — a melhor para garimpar as novidades de moda, beleza e cultura do momento. Pertinho dali está as famosas Galleries Laffayette, paraíso para os amantes das compras, e a Place Vendôme, endereço igualmente luxuoso onde encontram-se as joalharias mais exclusivas da Cidade Luz, além do incensado hotel Ritz.

Champs Elysées
A emblemática avenida de Paris começa no Arco do Triunfo e termina na Place de la Concorde. É ótima de caminhar, mas não tão boa assim para se alimentar — fuja dos restaurantes pega-turistas da região! A dica não vale para o café da Ladurée presente ali — o brunch servido aos domingos, com ovos mexidos, sanduíches e, claro, macarons, é divino. Lojas como Sephora e Louis Vuitton, que têm preços tabelados, também valem a visita. E caso precise de farmácias 24 horas, é ali que você vai encontrar.

Ponte Alexandre III
A mais bela e famosa das 37 pontes sobre o Rio Sena. Trata-se de um presente do Tsar Alexandre III da Rússia para a França, por ocasião da Exposição Universal de Paris de 1900 e faz parte do conjunto arquitetônico formado pelo Grand Palais e Petit Palais. Outra ponte que merece atenção é a Pont des Arts, onde casais apaixonados costumavam imortalizar seu amor deixando um cadeado com suas iniciais preso às suas grades metálica de proteção. Em junho de 2015, todos os cadeados foram retirados, já que estavam danificando a estrutura da ponte.

HOSPEDAGEM DE LUXO
Quatro hotéis que valem (muito) o alto investimento:

LA RÉSERVE
42 Avenue Gabriel
A localização é privilegiada, com vista fácil para Torre Eiffel, Pantheon e Grand Palais. A decoração, toda em estilo clássico, elegante e discreto da Paris do século XIX, é assinada pelo top arquiteto Jacques Garcia. Fácil se sentir em casa. Ainda tem uma biblioteca de cair o queixo, uma piscina coberta de 16 metros (raridade em Paris!) e o primeiro spa da marca suíça Nescens do planeta. Não à toa, o La Réserve é um dos mais concorridos durante as temporadas parisienses de moda. Diárias a partir de € 950.

SHANGRI-LA PARIS
10 Avenue D’Iéna
Primeira propriedade da rede oriental de luxo na Europa, o Shangri-La Paris fica ao lado direito do Rio Sena, a uma caminhada curta da Torre Eiffel. Boa parte dos 81 cômodos, aliás, dão de frente para a atração mais famosa da capital francesa. O hotel ocupa a construção criada originalmente em 1896 como moradia do príncipe Roland Bonaparte, sobrinho neto de Napoleão. Diárias a partir de € 795.

HÔTEL BEL AMI
7 Rue Saint-Benoît
Rodeado por endereços hypados como Café Flore, Brasserie Lipp e Le Deux Magots, o hotel fica no coração de Saint Germain des Près, bairro deliciosamente boêmio, repleto de achados. O décor é bastante contemporâneo em todos os ambientes. São 108 quartos distribuídos em três andares — os menores pecam pelo pouco espaço, mas garantem conforto nos detalhes, como travesseiro e roupa de cama de primeira. O brunch de sábado e domingo é todo orgânico, do tipo imperdível, e aberto a não hóspedes.Diárias a partir de € 320.

LE BRISTOL
112 Rue du Faubourg Saint-Honoré
A melhor estação para se hospedar no Le Bristol? Primavera. É nessa época que o famoso jardim privado do hotel fica florido, colorido… Fotogênico até dizer chega! Construído em 1924 e remodelado em 2011, o prédio combina o estilo imperial com conforto contemporâneo. O menu de serviços é amplo e inclui aulas de fitness e técnicas variadas de massagem, como shiatsu. O luxuoso Spa La Prairie é um dos principais destaques.Diárias a partir de € 730.

QUANDO IR
Maio, junho e setembro. Julho e agosto são meses de altíssima temporada, quando os termômetros explodem de tanto calor e os turistas lotam a cidade. Em março e abril o clima continua frio, mas começa a amenizar.

TRANSPORTE
Há algumas formas de chegar ao centro de Paris, e taxi não é a mais cara! Você paga uma tarifa fixa de 30 a 35 euros, dependendo do destino final, que pode ser dividida em até quatro pessoas. A passagem de trem custa 10 euros. Já um transfer de luxo para três pessoas, com direito a motorista brasileiro e carro espaçoso, custa 95 euros. Indicamos o curitibano Cleverson Pinheiro (clay.tour@gmail.com).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s